segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Não me reconheço

Não me reconheço

Sinto-me isolada
sinto-me aprisionada 
numa ânsia de amar
numa vontade de ser amada

Não me reconheço

Vivo com medo
algures estou
perdida nesta solidão
que transformou
a minha vida
em plena escuridão

Tento seguir
tento fugir desta solidão
mas a...
minha alma teima e
não deixa que saia
desta estranha e
amarga prisão

Não me reconheço

M. Godinho

6 comentários:

  1. O amor prende-nos de muitas formas porque sabemos amar e muitas das vezes não nos deixa espaço para nos podermos libertar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eis uma grande verdade amigo!
      O amor é um sentimento complexo e repleto de fortes emoções que nos dominam e nos aprisionam.

      Eliminar
  2. El amor nos hace muchas veces prisioneros. Un abrazo

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria
    Obrigada pela visita à minha "Casa" a porta está sempre aberta para lá voltares quando quiseres.
    Pois eu reconheço-me em absoluto neste poema...é lindo e exprime com exactidão o estado de alma com que atravesso muitos dos meus dias...
    Mas... nada a fazer, senão seguir em frente com um sorriso,
    A vida nem sempre é como queremos, mas quem sabe um dia ela nos surpreende..:-))))))))))
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Teresa
      Peço desculpa mas só agora vi o comentário,
      Agradeço o mesmo e deixo um beijinho
      Maria

      Eliminar