terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Inocentemente

Inocentemente
Errei ao amar-te
oh!
quanta ilusão
quanta frustração
me causaste
de te amar
e não ser amada
Pudera eu
voltar atrás no tempo
moderar o meu sentimento
quiça não cometia o mesmo erro
de te amar louca e perdidamente
agora...
de nada servem as lamúrias
ou as lágrimas derramadas
por te ter amado
Inocentemente
M. Godinho

4 comentários:

  1. O amor tem sempre os seus riscos...
    Excelente poema, gostei muito das tuas palavras.
    Bom resto de semana, querida amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata meu amigo, beijinho
      Maria

      Eliminar
  2. Amar tem isso mesmo!
    Da Amora? Tenho aí uma comadre!
    Passarei mais vezes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pela amabilidade, beijinho
      Maria

      Eliminar