segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Proibida de Amar

Proibida de amar

Não suportavas que olhasse
para ti ou para alguém
por ciúme ou por te julgares
meu dono
meu senhor
deste meu sentimento
deste meu amor

Trancaste as portas
da minha alma
do meu coração
que sina meu amor
esta tua cruel perseguição
mas ainda assim...
continuo a amar
não podes controlar o meu coração
os meus impulsos
a minha própria vontade
nem tampouco a minha emoção

Sou teimosa sim
mesmo sabendo que fui...

Proibida de amar

M. Godinho

Sem comentários:

Enviar um comentário