quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Ninguém sou

Ninguém sou

Neste meu mundo
coberto de sombras
neste meu viver
neste meu sobreviver
a esta passagem
pelos trilhos da vida

Ninguém me sinto
nesta derradeira solidão
que invadiu a minha alma
de dor
que destroçou o meu coração
com tamanha crueldade
sem dó
sem piedade ou compaixão

Acolhida fiquei
hoje sinto que
só e apenas eu
consigo entender
consigo calcular
tudo o me vai na alma
todo o aperto que sinto no peito
oh!
triste sina
triste fado
que me fizeste sentir
que...

Ninguém sou

M. Godinho

Pintura-Vicente Romero Vicente

Sem comentários:

Enviar um comentário